Vende-se Picolé para Esquimó. Enquanto a burocracia deixar.

Na ocasião do lançamento da iTunes Store brasileira o escritor, desenhista e gente-fina Arnaldo Branco (@arnaldobranco) publicou um tweet dizendo não entender o porquê de tanto barulho, já que a loja virtual estaria “vendendo areia no deserto”.

Não deixa de ser um ponto de vista válido, afinal por que alguém pagaria por algo que pode baixar de graça na internet?  Além que a demora por conta da burocracia que impediu durante muito tempo a entrada da loja no país.

Passado quase 10 meses apesar de não termos números oficiais, pelas notícias “oficiosa” podemos dizer que iTunes Store brasileira vai muito bem, obrigado!

Daria para listar um monte de possíveis motivos, mas vou usar apenas um que é o que  me serve para esse texto de merda fazer sentido:

Na iTunes Store a pessoa não paga pela música! Paga pela facilidade de encontrar a música, pela certeza de encontrar um arquivo com uma boa qualidade de audio, pela segurança do download e para economizar o tempo que perderia em fóruns, sites poucos confiáveis  e fechando um monte de pop-ups  de “como aumentar seu pênis”, enquanto procura uma banda ou álbum mais obscuro ou algo que acabou de ser lançado.

Se você tem essa paciência, parabéns! Mas eu não tenho mais. Se for mais fácil e o preço não for abusivo, vou lá e pago.

Seguindo essa linha de raciocínio, assinei a Netflix a uns meses atrás e achei fantástico! Pela facilidade e  preço justo. Tudo bem, quase não tem lançamento no acervo, mas tem um monte de clássico, filmes alternativos, muitas séries,  desenhos e o principal; TEM COMMUNITY, PORRA SÓ ISSO JÁ  VALE AS 15 PRATAS!!!

Claro que ainda persiste a idéia de se estar vendendo “Picolé para Esquimó”, você pode encontrar tudo que tem lá nas Bainha dos Piratas da vida, mas e a comodidade de só clicar e começar a assistir já com as legendas, ali na hora? E sem ter que ficar apagando pornografia para arrumar espaço no HD.

Mas aí vem a maldita BURROcracia:

Segundo levantamento do pessoal do blog Filmes-Netflix, a Ancine em uma instrução normativa (o que quer que seja isso…) inserida na nova lei de TV paga,  pode vir a cobrar quase R$ 22 milhoes de reais da Netflix baseado no acervo que esta possui. E essa cobrança se estende à todos ous outros sites que disponibilizam conteúdo audiovisual on demand pela Internê.

Pourras, Bacharéisss! Esse modelo de negócio é bem-sucedido em quase todo mundo e apontado como um dos únicos a sobreviver depois do ADVENTO ( adoro essa palavra, serve para qualquer merda!) do Napster e vocês querem inviabilizar o negócio? Se for para cobrar, que cobrem em cima de arrecadação ou número de assinantes (se é que essas empresas já não pagam sobre esses números)! Se isso realmente acontecer:

( )O aumento vai ser repassado para o assinante

( )A Netflix e afins não terá o menor interesse em ampliar o acervo

( )A Netflix vai picar a mula e dizer para enfiarmos a instrução normativa no toba

( ) Todas anteriores dicunforça

Já que é para fazer isso libera geral logo e que nunca mais me apareça nenhuma autoridade na TV para falar dos males da pirataria.

Melhor,que se institua o “Bolsa Piratão”!  Todo brasileiro teria por mês direito a:

  • 5 dvd’s piratas gravados dentro do cinema;
  • 2 Gb de scans de quadrinhos;
  • garantia de número elevado de seeds no Pirate Bay
  • Tapa-olho

2 respostas em “Vende-se Picolé para Esquimó. Enquanto a burocracia deixar.

  1. Pingback: TVs Por Assinatura Crescem os Olhos No Sucesso do Netflix no Brasil.E a Vítima pode ser Você! | Uatafókin is This!!!

Deixe um comentário abalizado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s