Quando o Título Nacional de um Filme de Tão Ruim, Fica Bom!

Mais de uma vez aqui eu reclamei de algumas traduções de títulos “JENIAIS”  feitas para o mercado brasileiro na intenção de “promover” mais o filme que acabam vendendo uma idéia totalmente errada da trama.

werethemillers_1

Mas em alguns casos, raríssimos casos, dar um bico no dicionário e botar um título exxxxperto, pode até funcionar.

Métodos mais tradicionais de tradução de títulos normalmente utilizados, com chances gigantes de dar merda:

  • “Todo mundo”[Insira qualquer merda aqui] para qualquer tipo de comédia/sátira besteirol
  • A tentativa  vincular o filme com outro filme ou série de sucesso mesmo que as tramas não tenham nada em comum. EX: Malrats foi traduzido como “Barrados no Shopping” para aproveitar o fato que uma das protagonistas do filme também tinha protagonizado a série “Barrados no Baile ; TeenWolf foi traduzido como “Garoto do Futuro, já que o jovem lobisomem era vivido por Michael J. Fox de “De Volta para o futuro” e por aí vai. Também conhecido como “método SBT”
  • Algum” Jênio” do marketing tenta acrescentar uma palavra ou sub-título para deixar o nome do filme mais imponente, mesmo que isso não tenha bulhufas a ver com a história, muito usada atualmente: “Wolverine: Imortal (em um filme em que o mote principal é a mortalidade do personagem) ou 007 Operação Skyfall (operação meu ovo! Skyfall só é o nome do rancho onde James Bond morou).
Lobisomem adolescente E viajante do tempo?
Lobisomem adolescente E viajante do tempo?

E tem a  fórmula que às vezes funciona que é o método do  “foda-se vamos enfiar um trocadilho ou um gracejo qualquer aqui e ver qualé”

O exemplo clássico disso ( e que nem foi uma opinião minha, li numa revista Wizard nacional há uns 15 anos atrás) é o mítico “Curtindo a vida adoidado” , que em uma tradução literal do título em inglês seria algo como “O dia de folga de Ferris Bueller”. O título nacional parece ter mais o espírito do filme do que o original.

ferris_buellers_day_off1

“Se Beber Não Case” também achei uma boa escolha ao aproveitar um bordão  nacional popular ao invés da tradução literal que seria “A Ressaca”. Mas aí veio o terceiro filme que não tem nenhum casamento e derrubou o tradutor lelésk. Pois bem, “We’re the Millers” será o mais novo representante dessa categoria.

Há algum tempo tenho visto os trailers dessa comédia bastante promissora em que um traficante chinfrim monta uma família “de mentirinha”, com uma stripper no papel de devotada esposa e uma viciada e um imbecil como casal de filhos para tentar levantar poucas suspeitas na tentativa de cruzar a fronteira com um trailer cheio de maconha:

Passando a bola do trailer:

.

Pois bem, a tradução literal (quiçá natural) do fime seria: “Nós somos os Millers”, mas algum apreciador do mesmo produto que lota o trailer da família deve ter pensado: “Nhé! o título é sem graça!”

E saiu isso aqui:

familia_do_bagulho

Gênio! Sem ironias! Nem Silvio Santos em pessoa teria feito melhor.

E para você que pensa que todo esse post só foi um motivo para mostrar a Jennifer Aniston fazendo strip-tease…

Bom, você não está de todo errado.

Uma consideração sobre “Quando o Título Nacional de um Filme de Tão Ruim, Fica Bom!”

Deixe um comentário abalizado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s