Leitura de Trem: Os Flinstones

Já que não tem atualização no blog há milhares de anos nada melhor do que  escrever sobre  um  gibi em que a história se passa há milhões de anos atrás: o encadernado dos Flinstones do escritor Mark Russel e do desenhista Steve Pugh.

Sim,  estou falando de gibi mesmo não de desenho animado ! Caso você não saiba a DC Comics publica desde 2016 quadrinhos de personagens de Hanna & Barbera e no ano passado a Panini começou a publicar uma parte desse material aqui no nosso BRAZA.

Peguei os dois encadernados da H&B lançados aqui: Future Quest, com os heróis dos desenhos  como Space Ghost e Johnny Quest, e os Flinstones por puro saudosismo. Se o  primeiro atendeu em 200%  à no quesito “lembrar dos tempos de guri”, sem ir muito além disso, a releitura de feita Fred Flinstone e cia   vai muito (MAS MUITO!) além disso.

A surpresa  logo ao iniciar a leitura só não foi maior porque o título mensal dos  Flinstones lá fora já vinha recebendo várias críticas positivas, mas eu realmente não esperava que conseguissem fazer algo tão interessante e tão atual baseado em um material fonte que hoje em dia pode ser considerado bem simplório.

Se liguem na piadinha na camiseta da Pedrita hipster. Tem várias sacadas assim pela história.

Não  que eu esteja diminuindo a importância e o pioneirismo  do desenho animado dos Flinstones,  desenvolvido à princípio para o público adulto (daí os famosos comercias de cigarro) os episódios eram exibidos no horário nobre e com certeza lá nos anos 60 conseguiam satirizar alguns costumes da época. A questão para mim era se hoje em dia uma releitura dos personagens iria conseguir seguir nesse espírito e fazer algum barulho frente à outros materiais que, inspirados nos próprios Flinstones, metem os dois(ou dez) dedos na ferida dos costumes de nossa sociedade.

Essa dúvida se dissipou logos na primeira história, pois em uma espécie de retroalimentação o texto de Russel pega muito da linguagem dos desenhos atuais voltados para  o público adulto, de Simpsons a Bojack Horseman,  e vai além para para fazer críticas social foda contundentes aos dias atuais, da sociedade de consumo à religião através de  um humor anárquico que flerta com a melancolia, sem se distanciar do material original

Estão lá  as  gags visuais, os trocadilhos de nome com personalidades reais e tem eletro-domésticos com animais pré-histórico a dar com o pau, tudo isso acompanhado da grande  sacada de dar mais profundidade para elementos que já  eram presentes na animação, como por exemplo fazer de Fred e Barney  veteranos de  guerra  e o clube dos Búfalos d’Águas ser  um grupo de auto-ajuda para os ex-combatentes

A arte de Steve Pugh está ótima, me incomodou apenas o fato de todos personagens serem meios bombadões, mas acho que isso foi escolha proposital por conta da  adoção de  uma anatomia mais real do que cartunesca para os personagens. Outro ponto a se destacar foi a localização dos quadrinhos para o Brasil, os tradutores Eric Novello, Mariana Naime e Levi Trindade adaptaram muito bem os trocadilhos para nossa realidade.

Parece difícil de acreditar, mas Os  Flintones é uma das leituras recentes  mais bacana que você vai encontra  para ler nas bancas em muito tempo, um quadrinhos que arranca alguns risos ao mesmo tempo nos obriga a fazermos algumas reflexões, uma experiência muito válida por mais agridoce que seja.

8/10 IABA-DABA-DOOs

Anúncios

2 comentários em “Leitura de Trem: Os Flinstones”

  1. Tô com muita vontade de ler isso. Já tinha ouvido falar desse aspecto social, que fala de exploração do trabalho, de união homoafetiva, conflitos de gerações etc.
    Lá vou eu gastar mais dinheiro.

Deixe um comentário abalizado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s